STREET now open! Chicago | Los Angeles | Miami | New York | San Francisco | Santa Fe
Amsterdam | Berlin | Brussels | London | Paris | São Paulo | Toronto | China | India | Worldwide
 
São Paulo

Pinacoteca do Estado de São Paulo

Venue Display
Pinacoteca do Estado de São Paulo
Praça de Luz., 2
01120-010 São Paulo
São Paulo
Brazil
Venue Type: Museum

Neighborhood:
cidade



,
,
< || >
> CURRENT EXHIBITIONS & EVENTS
October 19th - October 25th (Imagem) Gráfica
Lívio Abramo, Jean-Baptiste Debret, Thomas Ender, León Ferrari, Carmela Gross, Cildo Meireles, Beatriz Milhazes, Fayga Ostrower, Johann Moritz Rugendas, Regina Silveira
 
October 19th - December 27th Uma história do Modernismo na Pinacoteca de São Paulo
Tarsila do Amaral, Victor Brecheret, Sérgio Camargo, Emiliano di Cavalcanti, Flavio de Carvalho, Ernesto Di Fiori, José Pancetti, Candido Portinari, Carlos Prado, Lasar Segall, Alfredo Volpi
 
August 30th - January 31st, 2015 Estrutura Em Movimento – A Gravura Na Obra De Iberê Camargo
Iberê Camargo
 
August 30th - December 14th Acervo Em Plástico Da Pinacoteca
Jorge Menna Barreto, Helena Caminha, Lothar Charoux, Farnese de Andrade, Geraldo de Barros, Roberto de Lamonica, Aldir Mendes de Souza, Tereza D’Amico, Sérvulo Esmeraldo, Sheila Goloborotko, Macaparana, Nina Moraes, Mario Cravo Neto, Julio Plaza, Danilo Di Prete, Gilberto Salvador, Amelia Toledo, Claudio Tozzi
 
August 9th - November 9th Arte construtiva na Pinacoteca de São Paulo
Hercules Barsotti, Sérgio Camargo, Lothar Charoux, Lygia Clark, Waldemar Cordeiro, Geraldo de Barros, Willys de Castro, Samson Flexor, Judith Lauand, German Lorca, Helio Oiticica, Abraham Palatnik, Arthur Luiz Piza, Luiz Sacilotto, Mira Schendel, Ivan Serpa, Alfredo Volpi
 
August 9th - November 9th Leonilson: Truth, Fiction
José Leonilson
 
July 17th - November 2nd Filosofia Para Princesas - Obras 1980-2013
Guillermo Kuitca
 
April 12th - December 28th Gravura Brasileira no Acervo da Pinacoteca de São Paulo
Lívio Abramo, Maria Bonomi, Elisa Bracher, Oswaldo Goedi, Fayga Ostrowe, Lasar Segall, Ivan Serpa
 
January 1st - December 30th, 2015 Arte no Brasil: uma história na Pinacoteca de São Paulo
 
> QUICK FACTS
WEBSITE:  
http://www.pinacoteca.org.br
OPEN HOURS:  
Tue-Wed, Fri- Sun 10-6; Thu 10-10
PHONE:  
(11)3324.1000
COST:  
R$ 6 - (adult) R$ 3 (student) FREE Saturdays
[large map]
DESCRIPTION

Ao ser inaugurada, em 25 de dezembro de 1905, a Pinacoteca contava com 26 pinturas de artistas ligados à tradição oitocentista e clássica, a saber: Pedro Alexandrino (8), José Ferraz de Almeida Júnior (4), Antonio Ferrigno (1), Benjamin Parlagreco (3), Antonio Parreiras (2), Oscar Pereira da Silva (4), Pedro Weingärtner (2) e Berthe Worms (2). Em sua maioria, eram trabalhos adquiridos pelo Estado de São Paulo, por intermédio da Secretaria do Interior, inicialmente para figurarem no Museu do Estado (atual Museu Paulista); outros foram oferecidos pelos próprios artistas ou personalidades locais e, no caso da obra Cozinha na roça, de Pedro Alexandrino, a doação foi condicionada pela concessão de bolsa de estudos no exterior. A esse conjunto foram acrescentadas 33 obras quando da regulamentação da Pinacoteca como museu estatal em 1911: trabalhos de Georgina e Lucilio de Albuquerque, Dario e Mario Barbosa, Torquato Bassi, Benedito Calixto, João Batista da Costa, Aurélio de Figueiredo, José Monteiro França e Eliseu Visconti. Forma-se, dentro de uma tradição oitocentista e clássica, uma coleção de qualidade.

Contribui para o incremento do acervo a regulamentação de decreto que institui o Pensionato Artístico em 1912, por meio do qual ocorreu a doação de várias obras à entidade, destacando-se a incorporação de trabalhos de Victor Brecheret, Alípio Dutra, Anita Malfatti, Túlio Mugnani, José Wasth Rodrigues, entre outros. O acervo continuou se expandindo, sem contar com uma orientação definida. Da formação até os anos 1930, os trabalhos que compõem a coleção provêm de doações de famílias abastadas da sociedade local – incluindo obras de artistas franceses importadas por galerias em funcionamento no período –, aquisições do Estado e doações dos próprios artistas, com destaque para a grande quantidade de retratos. Importante fato a sublinhar é a presença, entre as inúmeras obras oitocentistas, dos quatro primeiros trabalhos de artistas ligados ao Modernismo, que passam a integrar o acervo da instituição a partir de meados da década de 1920: Victor Brecheret, com a doação do gesso La porteuse de parfum (1927); Anita Malfatti, legando ao museu Tropical e mais duas cópias da época em que participava do Pensionato Artístico (março de 1929); Lasar Segall, com a aquisição da obra Bananal, em 1928, e Tarsila do Amaral, com São Paulo, adquirido no ano seguinte. Na década de 1930, temos o ingresso da obra Mestiço de Candido Portinari (1934).

A partir de 1934, com a criação do Salão Paulista de Belas Artes, parte das obras que ingressam passa a vir por essa via, com valores qualitativos desiguais, várias delas ligadas a um academismo muitas vezes anacrônico. Como conjunto significativo de doações, podem ser destacados, entre outros, os espólios de Henrique Bernardelli (1937), J. M. Azevedo Marques (1949) e Alfredo Mesquita (doações em 1975 e 1976, e espólio em 1994), este último enriquecendo o contingente de obras modernistas e modernas; cabe destacar ainda a aquisição do espólio de Pedro Alexandrino (1944) e de um conjunto de cerca de quatrocentas gravuras de Marcelo Grassmann (1969).

A partir dos anos 1970, o acervo passa a abrigar novas categorias, como a fotografia e a reprografia, e são realizadas mostras sistemáticas, rediscutindo a arte brasileira e a própria coleção da instituição, com aumento do número de obras datadas dos anos 1940 até a atualidade. Destaca-se, nas gestões de Aracy Amaral, Fábio Magalhães e Maria Cecília França Lourenço, a entrada de obras relacionadas à Arte Concreta, à Nova Figuração, ao Pop e a outras tendências, além da inclusão de trabalhos de jovens artistas, prática que teve continuidade com os diretores seguintes.

Desde a década de 1990, uma política de ampliação do acervo deu prioridade ao preenchimento de alguns claros históricos, e houve crescente valorização da coleção de esculturas, contando a instituição atualmente com cerca de 7 mil obras, a única na cidade a abrigar conjunto significativo da arte brasileira dos séculos XIX e XX.


Copyright © 2006-2013 by ArtSlant, Inc. All images and content remain the © of their rightful owners.